Associação Ame Vidas, do fundo do poço ao desejo da recuperação

DSCN7055

No centro da foto, senhor Carlos, o nosso entrevistado, ladeado por Cláudia Motta que faz parte da diretoria Ame Vidas e Pastor Renato.

O Site Mimoso In Foco vem trazer um fato real de superação e de muita luta de um homem que foi preso inúmeras vezes, que se jogou de um caminhão, que serviu a Marinha do Brasil, que se sente culpado pela morte do pai e da mãe, que lutou contra todas as drogas, que traficou e agora se sente recuperado e fala sobre sua vida com a propriedade de quem perdeu muito tempo com as drogas.

Num trabalho efetivo de recuperação e inserção social, “a Associação Ame Vidas opera milagres”, contou o senhor Carlos Alberto Bonfante da Silva, mimosense, dependente químico, nosso entrevistado desta edição. A história dele, daria, certamente um livro, mas iremos resumir.

DSCN7054

Interação entre todas as igrejas fortalecem ainda mais os laços de amizade em clima familiar de acolhimento aos que mais precisam. Nesta foto, uma reunião na Igreja Cristo Vive.

Mimoso In Foco – Quando entrou o vício do álcool e do tabaco em sua vida?

Senhor Carlos – Hoje tenho 51 anos. Fumava e bebia desde os 07 anos. Esse foi todo o meu tempo de perda de vida!

Mimoso In Foco – Depois do tabaco e do álcool, vieram às drogas?

Senhor Carlos – Costumo dizer que uma droga leva a outra sim e que não existe essa coisa de drogas leves, pois todas elas nos fazem mal. Iniciei com álcool e cigarro e depois passei para a maconha, a cocaína e no fim do poço me envolvi com o crack.

Mimoso In Foco – Toda a sua experiência negativa com as drogas foi em Mimoso do Sul?

Senhor Carlos – Também foi por aqui, mas isso se agravou quando me mudei para o Rio de Janeiro, foi quando passei a freqüentar os morros perigosos e conheci a cocaína.

Mimoso In Foco – Como era o seu relacionamento familiar?

Senhor Carlos – Minha mãe, a Dona Maria do Carmo, saudosa Carmelita, que era muito católica, morreu de desgosto, de vergonha de mim, meu pai também veio a falecer, fui perdendo as estruturas, me distanciando da família porque pra mim o que me dava prazer e sustento eram as drogas.

Mimoso In Foco – Apesar de tudo, o senhor teve uma experiência positiva na Marinha do Brasil. Como foi?

Senhor Carlos – A oportunidade de trabalho foi maravilhosa, mas eu não soube aproveitar, pois continuei utilizando com muita freqüência o álcool e isso me atrapalhou e me fez afastar desta bela profissão que eu teria pela frente. Então, no ano de 1981 eu saí do quartel e me afundei ainda mais.

Mimoso In Foco – Foi nesse período que resolveu retornar para Mimoso?

Senhor Carlos – Sim, neste período retornei para Mimoso e vivia bêbado pelas ruas e quase não trabalhava. Voltei também a me envolver com as drogas.

Mimoso In Foco – Já foi preso alguma vez?

Senhor Carlos – Muitas vezes. Fui preso em Mimoso, Muqui, Cachoeiro, Marataízes e Guarapari.

Mimoso In Foco – O Senhor conseguiu ficar um período longe das drogas?

Senhor Carlos – Às vezes eu parava, mas logo vinha uma recaída. Me relacionei com uma pessoa e tive quatro filhos com ela, fiquei um certo período sem beber, mas logo voltei e toda vez eu retornava para o vício eu me afundava mais.

Mimoso In Foco – Continua casado?

Senhor Carlos – Não me casei de papel passado com ela, nós apenas nos juntamos, mas ela também não me agüentou e se separou de mim.

Mimoso In Foco – De todas as drogas, qual foi a pior em sua vida?

Senhor Carlos – O pior foi ter começado a beber e fumar, o pior foi ter perdido tanto tempo de vida, tudo foi pior, tudo foi terrível, mas o crack superou todas as derrotas, porque a gente se envolve a tal ponto que você começa a ter dívidas, a traficar e é quase impossível sair.

Site Mimoso In Foco – Qual seu maior arrependimento?

Senhor Carlos – Nossa! Foram tantos! Mas vou citar um fato terrível de quando eu estava drogado dentro de um caminhão e pulei dele. Quase morri! Tive que fazer a reconstituição do osso de minha perna direita.

Mimoso In Foco – Em qual momento passou a perceber que havia uma esperança?

Senhor Carlos – Essa esperança nasceu dentro de uma prisão em Muqui quando fui capturado com pedras de crack. De repente comecei a ler a Bíblia, a conversar com pessoas solidárias da Pastoral Carcerária que me ajudaram. Veja só! Comecei até a compor músicas dentro da prisão.

Mimoso In Foco – Como conseguiu ser libertado antes do tempo previsto?

Senhor Carlos – Escrevi uma carta contando todos os detalhes da minha história de vida. Essa carta foi parar nas mãos de um juiz que entendeu que o meu caso era de recuperação numa clínica e me proporcionou um alvará de soltura, para que eu estivesse dentro de uma clínica em no máximo trinta dias.

Mimoso In Foco – O que fez quando chegou a Mimoso? Encontrou qual dificuldade?

Senhor Carlos – Veja bem!  Eu estava separado e não tinha onde morar direito, eu ficava alojado antes da prisão num barraco da Antiga Exposição e quando voltei, meu barraco tinha sido arrombado e roubaram tudo o que eu tinha.

Site Mimoso In Foco – E onde tentou recuperação?

Senhor Carlos – No início fui indicado para permanecer na Casa Reviver, foram muitos os documentos solicitados pela casa e eu não tinha nada, foram muitos exames também. Depois de muita dificuldade, de idas e vindas a Cachoeiro e Vitória consegui entrar na Casa Reviver, mas infelizmente não me adaptei no local e acabei saindo de lá, tive uma recaída e continuei me vendo solitário.

Mimoso In Foco – Até que conheceu o Pastor Vando…

Senhor Carlos – É neste ponto que quero chegar! O Pastor Vando foi um enviado de Deus em minha vida. Ele me apresentou a Associação Ame Vidas e imediatamente já me instalei por lá. Eu não tinha dinheiro para me internar, mas eles logo conseguiram uma vaga social para mim. Após 09 meses de tratamento sem medicamentos e com muita oração, hoje me sinto um recuperado. Fui batizado na Igreja Batista, com certeza elevei o meu nível espiritual e agora sou o mais novo Monitor da Casa de Recuperação.

Mimoso In Foco – Como funciona o tratamento na Associação Ame Vidas?

Senhor Carlos – Lá eu não me sinto um dependente, lá somos alunos e também professores, compartilhamos o que sabemos, aprendemos muitas coisas, ocupamos tanto o nosso tempo que nem vemos anoitecer… Cuidamos de porcos, boi, galinhas, limpamos o terreiro, utilizamos computador, fazemos artesanato, temos as nossas obrigações diárias e o principal de tudo é que oramos, refletimos sobre as palavras da Bíblia e teros toda a liberdade para questionar o que quisermos, somos vistos como irmãos num clima familiar.

Mimoso In Foco – Hoje você está recuperado totalmente?

Senhor Carlos – Prefiro dizer que estou em eterna recuperação (risos). Já vi que no caminho oposto não dá para seguir, já vi que meus desejos podem ser controlados com amor e oração, então meu espírito está muito mais preparado. A carne é fraca, mas eu agüento, não desisto de tentar ser feliz, só que desta vez longe das drogas.

Mimoso In Foco – E como está a expectativa para o próximo sábado?

Senhor Carlos – Melhor impossível. Teremos um Culto de Ação de Graças por minha recuperação na Câmara Municipal às 18h30 e eu só tenho mesmo que agradecer. Após o culto, teremos ate um pela égua lá na Associação. Olha que bacana sentir alegria nas coisas mais simples da vida! Isso não tem preço!

DSCN7060

“Estou em eterna recuperação e com a ajuda dos amigos e família da Ame Vidas estou conseguindo o que pensava que fosse impossível: vontade de viver!” (palavras emocionadas do Senhor Carlos)

 Trabalhando pelo próximo

A Diretoria da Ame Vidas é formada por Sergio Ângelo, da Igreja Católica, Franklin Barbosa, da Assembléia de Santa Cruz da Serra, Claudia Motta, da Missão Cristo Vive, Pastor Wando, Fledson, Paulo Barros e Pastor Borges da Igreja Batista e Rosemberg da Igreja Presbiteriana.

Segundo Cláudia Motta, quem deseja trabalhar entra na casa e na causa para ajudar e todos são bem vindos. “De fé em fé vamos rompendo e trabalhando pelo próximo”, disse.

Como ajudar?

A Ame Vidas precisa de seu apoio para continuar se mantendo, por esse motivo, ela disponibiliza um número da conta do projeto, que é 003 361 5, Caixa Econômica Federal, Agencia 1908. Telefone para contato (28)  9920. Você pode ajudar no quanto quiser!

Cláudia Motta frisou que é gratificante este tipo de trabalho. “Quem ganha com isso sou eu por ver a felicidade de volta no rosto de tantas pessoas. Eu estava em depressão, mas foi só conhecer o trabalho maravilhoso da Ame Vidas e poder colaborar que minha depressão foi embora. Hoje meu compromisso é ajudar o próximo”, destacou.

DSCN7067

Pequenos grupos se reúnem para compartilhar as palavras de Deus todas as terças feiras em locais informais. Segundo Pastor Vando, todos ficam à vontade.

Pequenos Grupos

Segundo o Pastor Vando tem surtido um efeito muito positivo os “Pequenos Grupos” de pessoas que se reúnem para compartilhar a palavra de Deus. “Os integrantes da Ame Vidas também participam, de batem, se socializam, questionam e isso é muito salutar”, acrescentou.

De acordo com ele, há os Pequenos Grupos de Crianças, Juniores, adolescentes que se formam oficialmente todas as terças-feiras para ouvir e compartilhar a palavra de Deus.  Não é um grupo formal, é informal, para que todos se sintam à vontade.

DSCN7062

TEXTO E FOTOS: Renata Mofatti

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *