“De bem” o inferno está cheio

todo-ser-humano-e-culpado-do-bem-que-nao-fez-voltaire-2192

“Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito”, Fernando Pessoa.

Por Roney Moares

Jornalista, Psicanalista, Teólogo

Muitas vezes culpamos as instituições por falhas que, na realidade, são meramente humanas, apesar dos próprios órgãos sociais serem construídos por leis de gente que não é perfeita. Em hipótese nenhuma.

Salvo raríssimas exceções, a maioria dos “políticos de carreira” não cumprem com suas responsabilidades, deixando de lado a tarefa de legislar para priorizar os conchavos políticos que lhes garantam mais mordomias, ganhos financeiros e nomeações de cabos eleitorais para cargos públicos. Não é preciso ir a Brasília para ver isso. Em todas as esferas do poder encontramos pessoas que usam a fé pública para a prática da má fé privada.

Culpar os poderes constituídos, as leis, o sistema pela falta de segurança e atribuir as mazelas da população ao conjunto que as rege é coisa de gente fraca e de raciocínio pobre. Como o meu, o seu e o de todo mundo. Usar o senso comum para inflar discurso é fácil. Difícil é explicar o motivo real dos acontecimentos de forma prática, científica e com base em dados reais.

Somos seres falhos, faltantes e desejantes. Não somos “pessoas de bem”. Ao contrário, cada um quer o que lhe cabe no próprio latifúndio, seja segurança, saúde, lazer, dinheiro, e outras coisas mesmo que para isso o pobre do favelado se lasque.

Por que não toleramos “rolezinhos”? Lembro que quando jovem dávamos “passeiozinhos” na Avenida Beira-Rio todos os domingos. Ninguém gastava ou pagava nada. Ainda bem que não havia redes sociais, pois os comerciantes iriam fechar as portas dos estabelecimentos antes das 18h.

Agora, quando o “morro” desce a cidade fica alerta. As madames e os patrões ficam apreensivos. Oportunidade? Só para quem não tem cordão de prata, boné com aba larga, cor pálida e não usa tênis de marca. É… Eles são consumidores também. Não sabiam “nobres” da baixada?

Hoje a hipocrisia toma conta de todos os lugares. Não só das instituições. É hora de parar e repensar nossos atos, falhas e aprender com eles para que no futuro sejamos pessoas melhores, por que “de bem” o inferno está cheio.

TEXTO: Roney Moraes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *