Noticiário

SAÚDE divulga dados de Boletim Epidemiológico sobre a dengue

Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020 às 03:23

Por Redação in Foco

Terça-feira, 11 de fevereiro de 2020, às 13h46.

AEDES

Por Redação In Foco

A Prefeitura Municipal de Mimoso do Sul, através da Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância em Saúde, divulga um Boletim Epidemiológico e apresenta o comportamento das Arboviroses no mês de janeiro de 2020 no Estado do Espírito Santo e no município de Mimoso do Sul.

As informações divulgadas foram coletadas nas bases de dados oficiais da Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (SESA) e Vigilância em Saúde do município de Mimoso do Sul.

QUAIS SÃO AS ARBOVIROSES?

DENGUE: É uma doença infecciosa febril aguda que pode se apresentar de forma benigna ou grave. Isso vai depender de diversos fatores, entre eles: o vírus e a cepa envolvidos, infecção anterior pelo vírus da dengue e fatores individuais como doenças crônicas (diabetes, asma brônquica, anemia falciforme). A doença é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti.

CHIKUNGUNYA: é uma arbovirose causada pelo vírus chikungunya (CHIKV), da família Togaviridae e do gênero Alphavirus. A viremia persiste por até dez dias após o surgimento das manifestações clínicas. A transmissão se dá através da picada de fêmeas dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus infectadas pelo CHIKV. Casos de transmissão vertical podem ocorrer quase que exclusivamente no intraparto de gestantes virêmicas e, muitas vezes, provoca infecção neonatal grave. Pode ocorrer transmissão por via transfusional, todavia é rara se os protocolos forem observados.

ZIKA: é um vírus transmitido pelos mosquitos Aedes aegypti (mesmo transmissor da Dengue e da Febre Chikungunya) e o Aedes albopictus. O vírus Zika teve sua primeira aparição registrada em 1947, quando foi encontrado em macacos da Floresta Zika, em Uganda. Entretanto, somente em 1954 os primeiros casos em seres humanos foram relatados, na Nigéria. O vírus Zika atingiu a Oceania em 2007 e a Polinésia Francesa no ano de 2013. O Brasil notificou os primeiros casos de Zika vírus em 2015, no Rio Grande do Norte e na Bahia. Atualmente, sua presença já está documentada em cerca de 70 países.

FEBRE AMARELA: A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A febre amarela tem importância epidemiológica por sua gravidade clínica e potencial de disseminação em áreas urbanas infestadas pelo mosquito Aedes aegypti.

SINTOMAS DA DENGUE:
* Febre alta de início imediato
* Dores de cabeça
* Dores moderadas nas articulações
* Manchas vermelhas na pele podem estar presentes
* Nauseas
* Outros sintomas como dores atrás dos olhos, falta de paladar, moleza e cansaço podem ser encontrados

SINTOMAS DA CHIKUNGUNYA
* Febre alta de início imediato
* Dores de cabeça
* Dores fortes nas articulações
* Manchas vermelhas na pele podem ser manifestadas
* Nauseas
* Inchaço nas articulações dos pés, mãos, cotovelos e tornozelos

SINTOMAS da ZIKA
* Febre baixa
* Dores de cabeça
* Dores leves nas articulações
* Possibilidade de manchas vermelhas na pele
* Coceira e vermelhidão nos olhos

SINTOMAS DA FEBRE AMARELA
* Febre alta
* Dores de cabeça
* Dores principalmente nas costas
* Possibilidade de nauseas
* Falta de apetite
* Peles e olhos amarelos

AUMENTO DE CASOS NO ESPÍRITO SANTO
O Espírito Santo vem apresentando aumento nos casos de Dengue, Chikungunya e Zika entre as semanas epidemiológicas 01 a 05 de 2020. Neste ano de 2020 o Ministério da Saúde classificou o Estado em situação de alerta para a ocorrência de epidemias de dengue pelo DEN-2, vírus que não circulante no estado nos últimos 5 anos.

A seguir será apresentada a situação epidemiológica das arboviroses no estado do Espírito Santo conforme último informe da SESA.

Notificações de Dengue no Estado:

29/04/19 – 04/01/20 – 869
05/01/20 – 11/01/20 0 1.122
12/01/20 – 18/01/20 – 1387
19/01/20 – 25/01/20 – 1349
26/01/20 – 01/02/20 – 1.010
Total acumulado: 5737

FONTE: SESA

Notificações de Chikungunya

29/04/19 – 04/01/20 – 315
05/01/20 – 11/01/20 – 395
12/01/20 – 18/01/20 – 509
19/01/2020 – 25/01/2020 – 455
26/01/20 – 01/02/20 – 340
Total acumulado: 2014

FONTE: SESA

Notificações Zika

29/04/19 – 04/01/20 – 09
05/01/20 – 11/01/20 – 14
12/01/20 – 18/01/20 – 18
19/01/2020 – 25/01/2020 – 16
26/01/20 – 01/02/20 – 13
Total acumulado: 70

FONTE: SESA

MIMOSO DO SUL – EPIDEMIOLOGIA

Mimoso do Sul apresentou um pequeno aumento nos casos de Dengue e Chikungunya, sem casos de Zika entre as semanas epidemiológicas 01 a 05 de 2020. A seguir iremos apresentar a situação epidemiológica das arboviroses no município.

Notificações de dengue:

29/04/19 – 04/01/20 – 00
05/01/20 – 11/01/20 – 02
12/01/20 – 18/01/20 – 01
19/01/2020 – 25/01/2020 – 02
26/01/20 – 01/02/20 – 03
Total acumulado: 08

FONTE: eSUSvs

Notificações Chikungunya

05/01/20 – 11/01/20 – 00
12/01/20 – 18/01/20 – 02
19/01/2020 – 25/01/2020 – 01
26/01/20 – 01/02/20 – 00
Total acumulado: 03

FONTE: eSUSvs

Notificações Zika

05/01/20 – 11/01/20 – 00
12/01/20 – 18/01/20 – 00
19/01/2020 – 25/01/2020 – 00
26/01/20 – 01/02/20 – 00
Total acumulado: 00

FONTE: eSUSvs

MIMOSO DO SUL NA LISTA DE MUNICÍPIOS INFESTADOS PELO MOSQUITO 

Mimoso do Sul está na lista dos municípios infestados pelo mosquito Aedes aegypti e Aedes albopictus. No mês de janeiro de 2020 o município apresentou infestação média do A. Aegypti de acordo com uma escala de infestação do Ministério da Saúde.

Índice de Infestação Predial (IIP) – Mimoso do Sul
A. Aegypt com 902 imóveis trabalhado. Foram encontrados 16 focos
A. Albopictus com 902 imóveis trabalhados. Foram encontrados 07 focos.

Índice de Infestação Predial A.aegypti (Bairros)

Vista Alegre 03 imóveis trabalhados (sem focos)
Vila da Penha 43 imóveis trabalhados (sem focos)
Alto São Sebastião 231 imóveis trabalhados (com cinco focos)
Serra 144 imóveis trabalhados (com três focos)
Itapuã 57 imóveis trabalhados (com dois focos)
Pombal 202 imóveis trabalhados (com cinco focos)
FONTE: SisFAD

PRECAUÇÕES
A Secretaria Municipal de Saúde pede a colaboração de todos no combate aos criadouros do mosquito nesse verão. Não deixe água parada e lixo acumulado em quintais e terrenos baldios.

DICAS IMPORTANTES:

  • Mantenha a caixa-d’água bem fechada;
  • Mantenha bem tampados tonéis e barris de água;
  • Lave semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água;
  • Coloque areia dentro de todos os cacos que possam acumular água;
  • Remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas;
  • Não deixe água acumulada sobre a laje;
  • Faça sempre a manutenção de piscinas ou fontes utilizando os produtos químicos apropriados;
  • Os vasos sanitários fora de uso ou de uso eventual devem ser tampados e verificados semanalmente;
  • Bandejas de geladeira podem acumular água. Fique atento;
  • Encha os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda, outra opção para os pratinhos de plantas é lavar com escova, água e sabão uma vez por semana. Avalie a possibilidade de eliminar os pratos;
  • Troque a água dos vasos de plantas aquáticas e lave-as com escova, água e sabão uma vez por semana;
  • Mantenha as garrafas com a boca virada para baixo evitando o acúmulo de água;
  • Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada;
  • Feche bem os sacos de lixo e deixe-os fora do alcance de animais:
  • Pneus devem ser acondicionados em locais cobertos;
  • Se o ralo não for de abrir e fechar coloque uma tela fina para impedir o acesso de mosquito a água;
  • Lonas usadas para cobrir objetos ou entulhos devem ser bem esticadas para evitar poças d’água;
  • Limpe sempre a bandeja do ar condicionado para evitar o acúmulo de água.

Contatos:

Vigilância em Saúde

Telefone (28) 3555-1759

E-mail vigilancia saúde.mimoso@gmail.com

Secretaria Municipal de Saúde

Telefone 3555-4836

E-mail semus.mimosodosul@yahoo.com.br

Equipe de elaboração:

Cristiane da Costa (Agente de Endemias e Supervisora de Campo) /  Thiago Costa Santiliano ( Agente de Endemias e Vigilância Ambiental) / Érika Silvestre Ramalho de Moura (Gerente Geral de Vigilância em Saúde) / Ana Lúcia Boscardini (Gerente de Programas e Ações em Saúde) / Cristiano Valpasso Campos (Secretário Municipal de Saúde)

Equipe colaboradora:

Agentes de Endemias Caio Nogueira, Luan Bento, Roberta Jovita, Luiz Adriano Bonfante, Cristiano Mendes, Eduardo Pereira, Saulo Muri e Lucinéia Torres

Busca

Mimoso in foco 2013 - Todos os direitos reservados
renatoalcantara.com