História de Mimoso

O Velho Muqui do Sul: Um Rio Genuinamente Mimosense

Sexta-feira, 10 de Julho de 2020 às 01:18

Por Redação in Foco
Terça-feira, 23 de maio de 2017, às 18h00.
S
 

Por Renato Pires Mofati

 

Dizia o Capitão Mor João Dias: “Que nós possuímos ricas minas de ouro, afora as de Castelo, é para mim cousa certa. Há aqui um Índio manso de nome João, que, entrando muitas vezes pelo Rio Muqui do Sul, afluente do Rio Itabapoana, depois de seis dias de viagem, volta sempre carregado de peles de animais que mata; traz palhetas de ouro, que (diz), de um poço de uma cachoeira, que no sertão de Camapuana, se precipita em panos que imitam a forma de camisas lavadas; que tais produtos eram vendidos no mercado de Campos dos Goitacazes”.

Todo o percurso do Rio Muqui do Sul, desde sua nascente, na cordilheira dos Pontões, até o Porto da Prata, tem seu nome ligado à palavra e que o seu nome se originou: MOSCHI- Casebre, rancho, habitação pobre. Também se admite: MÓS – a pedra no campo ou vasto horizonte; – CHI o espanto, admiração.

Consoantes, sucessivamente: a pedra dos “Pontões”, com sua altitude, servindo de marco ao navegante em alto mar; a cachoeira de “Boa Esperança” com sua altitude de 100 metros, cujo sussurro das águas é ouvido ao longe. MUQUI – Para elegância da palavra.

Este texto é extraído do livro “Páginas de Nossa Terra” do escritor Sãopedrense: Grinalson Francisco Medina, que reverencia o Rio Muqui do Sul em vários trechos de sua obra.

Fazer uma biografia uma narrativa histórica desde o nascimento a morte de um rio, não é tarefa fácil! Além disso, é necessário fazer um estudo detalhado de todo o trajeto, as quedas d’água, os afluentes, os desníveis, as vilas por onde passa até finalmente chegar a sua foz onde deságua em um rio maior ou no próprio oceano. O Rio Muqui do Sul é mesmo um rio genuinamente Mimosense, pois surge e desaparece nestas mesmas terras. E todo trabalho, estudo para fazer esta matéria, teve início em 2002, há 15 anos!

Há exata localização do nascimento, do primeiro olho de água que brota da terra que forma o Rio Muqui do Sul, se situa há 900 metros de altitude, no espigão da coluna cervical do município de Mimoso, na localidade do Oriente, na popular Fazenda da Doutora. O pequeno veio de água é chamado primeiramente de córrego das Almas e conforme seu trajeto descendo os degraus de altitude passa receber outras nascentes e pequenos afluentes, que então recebe o nome de Rio Muqui do Sul.

Há de se notar que deste mesmo ponto que ele se origina, outra vertente se forma e segue para os lados do município de São José do Calçado originando assim o Rio Calçado, aliás, todos os rios que passam pelas cidades do sul do nosso estado e que estão às margens do Rio Itabapoana como São José do Calçado, Bom Jesus do Norte e Apiacá, nascem nas regiões altas de Mimoso do Sul. O nascimento de nosso Rio Muqui do Sul foi registrado em uma filmagem que fiz e encontra-se disponível no You Tube.

Nosso rio principal possui muitos pequenos afluentes, dentre os quais destacamos os seguintes riachos e córregos: Fortuna, Muribeca, São Francisco, Conceição, Santa Glória, Santo Antonio, Bom Destino, Três Barras, Lajeado, Santa Cruz, São Domingos, Barra Mansa, Catuné, São José, Pedra Negra, Saudade, Santa Rita, Gruta, Serra, Bela Aurora, Pratinha, Vinagre, Belmonte e Santa Marta. Todos os afluentes são de enorme importância para a vida de nossa região e do Rio Muqui do Sul, mas destacamos o Belmonte que se forma com as junções de nascentes que se originam nas localidades do alto das Palmeiras, Água Limpa, Vargem do Cipó, Alto Pratinha e Farol.  E evidentemente o Riacho Santa Marta que surge das nascentes provenientes das regiões do Alto Coqueiro (Boa Sorte), Fazenda Palmital, Parte da Água Limpa, e da própria Fazenda Santa Marta, é de vital importância aos moradores da sede de Mimoso do Sul, pois é dele que se destina a captação de água para o abastecimento da cidade. E estes dois riachos citados se unem próximo o bairro Alto São Sebastião e logo a seguir entregam suas águas ao Rio Muqui do Sul no centro de nossa cidade.

Nosso importante Rio Muqui do Sul segue desde o seu nascimento até a sua foz, por uma distancia de 60 km de extensão e drena 465 Km2, tornando assim o maior afluente do Rio Itabapoana. Para que tenhamos uma ideia da importância de nosso Muqui do Sul, faremos um pequeno comparativo com outros importantes afluentes do Itabapoana. O Rio Calçado que deságua no Itabapoana, viaja por 37 km e drena 205 KM2. Além disso, os próprios rios que dão origem ao Rio Itabapoana que nascem na Serra do Caparaó junto ao Pico da Bandeira os rios: São João e Preto possuem uma extensão de 41 Km e 235 Km2 de drenagem. Ficando assim o Rio Muqui do Sul como principal afluente do Rio Itabapoana.

No período em que todos os dias eram verdadeiramente dias de índio as margens do Rio Muqui do Sul, principalmente a partir de sua foz com o Itabapoana, assistiu batalhas violentas travadas com nossos primeiros residentes por aqui os índios Puris que enfrentavam os temíveis e canibais índios Goitacaz, estes adentrando o Muqui do Sul em busca de farta caça. Mas os Puris conheciam muito bem a região e resistiram o máximo, mas foram expelidos quando o homem branco aqui chegou e estes se embrearam mata adentro, indo em direção à região alta e mais fria localizado na região do Caparaó e lá se mesclaram com os Aimorés. Há tempos ouve uma exploração por parte de alunos da faculdade Norte Fluminense na região da suposta Vila da Rainha que se localiza em frente o Porto da Limeira, além de acharem restos de construções, alicerce, foi encontrados também inúmeros utensílios de barro como talhas, moringas, pontas de flechas, e até moedas. O local fica exatamente abaixo da represa da Pedra do Garrafão, próximo a Vila dos Pescadores, e pode ser visitado.

Nosso rio genuinamente mimosense, vêm serpenteando as altas terras do município, irrigando o solo, mantendo a vida dos cafezais, de toda espécie de vegetais ao seu trajeto, matando a sede de humanos, aves e animais, se responsabilizou por mover engenhos das antigas fazendas, gerador de energia em suas usinas (Aparecida, Rubens Rangel, Bom Sucesso e Conceição).  Demarcou a demarca limites territoriais de fazendas, conduz as sobras de cada lar, morador e habitante do município, de modo que é a fonte de vida que todos nós necessitamos… Mas ele não é tratado com o devido respeito! E não é preciso relacionar aqui os desleixos que o próprio homem faz porque é de conhecimento de todos.

Ao visitar, fotografar a foz de nosso Rio Muqui do Sul que entrega suas águas ao Managea ou Itabapoana, confesso que meus olhos se encheram de lágrimas… Não ainda pelo nosso Muqui do Sul, que apesar dos pesares, está com um fluxo de água e boa correnteza em sua foz, há de se notar que aparentemente está mais volumoso que o próprio Itabapoana, pelo menos naquele exato ponto.

E EU VI O RIO ITABAPOANA agonizando em seu leito de morte, do caudaloso e volumoso rio de outrora… Um remanso cercado por intermináveis bancos de areia, com uma profundidade que se avista seu fundo com menos de 50 centímetros de profundidade.

Quando imaginei em minha vida atravessar o Itabapoana de um lado para o outro com água no joelho?! Essa imagem está em minha memória, em meu pensamento e então fico buscando uma resposta… Eu sei da resposta… Só não quero dizer!

O Rio Muqui do Sul nasce nos altos de Conceição de Muqui, recebe pequenos, médios afluentes, corta nosso município de norte a sul, morre nas águas sofridas do Itabapoana e este encerra o ciclo se entregando ao oceano atlântico. Lá estive também e registrei sua importante foz em Barra de São Francisco. Posso dizer que conheço um pouquinho da vida deste nosso genuíno rio mimosense… Nosso querido Muqui do Sul.

*Agradecimentos:

Thiago Costa Santiliano (Fotos Geo-Costa), ao Luiz Guilherme (Filho do Dr. Maurício) pela liberação de entrada no ponto do Rio, ao amigo José Carlos (Pomba) pela presença e ajuda durante as imagens, ao site Mimoso In foco pelo espaço para divulgação.

A antiga Barragem da usina no Rio Muqui do Sul

A antiga Barragem da usina no Rio Muqui do Sul

Afluente do Rio Muqui do Sul completamente seco (Local Propriedade do Sr. José carlos Tunholi)

Afluente do Rio Muqui do Sul completamente seco (Local Propriedade do Sr. José Carlos Tunholi)

Aguas tranquilas do Rio Muqui do Sul

Aguas tranquilas do Rio Muqui do Sul

Antigo Pontilhão da Arca sobre a união dos rios Santa Marta e Belmonte

Antigo Pontilhão da Arca sobre a união dos rios Santa Marta e Belmonte

Cachoeira das Garças antes de ser represada pela hidroelétrica (Rio Itabapoana)

Cachoeira das Garças antes de ser represada pela hidroelétrica (Rio Itabapoana)

Cachoeira dos Lenções ou dos Gomes de São Miguel - Águas do Rio Muqui do Sul

Cachoeira dos Lençóis ou dos Gomes de São Miguel – Águas do Rio Muqui do Sul

Cheia do Rio Muqui do Sul atingindo nossas ruas

Cheia do Rio Muqui do Sul atingindo nossas ruas

Cheia do Rio Muqui do Sul visto da Ponte do Albano

Cheia do Rio Muqui do Sul vista da Ponte do Albano

Corredeiras do Rio Muqui do Sul (Usina)

Corredeiras do Rio Muqui do Sul (Usina)

Divisa de estados ES - MG - RJ - encontro das águas do rio Preto com rio São João, formando o rioIitabapoana

Divisa de estados ES – MG – RJ – encontro das águas do rio Preto com rio São João, formando o Rio Itabapoana

Encontro dos Rios Belmonte e Santa Marta com o Rio Muqui do Sul (Local atrás da AABB)

Encontro dos Rios Belmonte e Santa Marta com o Rio Muqui do Sul (Local atrás da AABB)

Foto aérea da foz do Rio Itabapona com o mar.

Foto aérea da foz do Rio Itabapona com o mar.

Escasses de água na barragem do Rio Santa marta afluente do Rio Muqui do Sul

Escassez de água na barragem do Rio Santa marta afluente do Rio Muqui do Sul

Foz do Rio Itabapoana com o mar

Foz do Rio Itabapoana com o mar

S

Imensos bancos de areia ao lado do Rio Itabapoana

Aqui é a Foz do Rio Muqui do Sul

S

Bancos de areia a sumir de vista ao lado do Rio Itabapoana

S

Correnteza do Rio Muqui do Sul entrando no Rio Itabapoana

S

Desolação

S

Foz do Rio Muqui do Sul

S

Foz do Rio Muqui do Sul

S

Foz do Rio Muqui do Sul

S

Local exato da Foz do Rio Muqui do Sul

Nascente do Rio Muqui do Sul - (Foto Renato Pires Mofati)

Nascente do Rio Muqui do Sul

Nivél critico! Da represa do Rio Santa Marta

Nível critico da represa do Rio Santa Marta

S

Parte de baixo do Rio Muqui do Sul vista da Ponte da Inhuma

S

Parte de cima do Rio Muqui do Sul vista de cima da Ponte da Inhuma

Pedra do garrafão e a emblemática construção da Usina Hidroelétrica no Rio Itabapoana

Pedra do garrafão e a emblemática construção da Usina Hidroelétrica no Rio Itabapoana

S

Pescadores num rio sem vida

S

Ponte da Inhuma sobre o Rio Muqui do Sul

Ponte ligando o ES e RJ em Bom Jesus, (rio Itabapoana)

Ponte ligando o ES e RJ em Bom Jesus (Rio Itabapoana)

Ponte Santa Cruz divisa ES-RJ Rio Itabapoana - BR 101

Ponte Santa Cruz divisa ES-RJ Rio Itabapoana – BR 101

Popular Ponte do Albano e o Rio Muqui com grande volume de água

Popular Ponte do Albano e o Rio Muqui com grande volume de água

Rio Belmonte visto da Ponte do Ginásio

Rio Belmonte visto da Ponte do Ginásio

Rio da Serra atrás do Campo do Independente

Rio da Serra atrás do Campo do Independente

Rio Itabapoana e o Mar

Rio Itabapoana e o Mar

Rio Muqui chegando no Itabapoana

Rio Muqui chegando no Itabapoana

S

Rio Muqui chegando no Rio Itabapoana

Rio Muqui do Sul desaguando no Rio Itabapoana

Rio Muqui do Sul desaguando no Rio Itabapoana

Rio Muqui do Sul e a antiga barragem da Usina Rubens Rangel

Rio Muqui do Sul e a antiga barragem da Usina Rubens Rangel

O

Rio Muqui do Sul passando pela vegetação da Mata da Pratinha

Rio Muqui do Sul proximo a antiga Usina

Rio Muqui do Sul próximo à antiga Usina

Rio Muqui do Sul visto da Ponte do Albano

Rio Muqui do Sul visto da Ponte do Albano

Rio Muqui do Sul

Rio Muqui do Sul

S

Rio Muqui do Sul e Rio Itabapoana

Rio Muqui e Rio Itabapoana

Rio Muqui e Rio Itabapoana

Rio Pratinha (Pequeno afluente do Rio Muqui do Sul)

Rio Pratinha (Pequeno afluente do Rio Muqui do Sul)

Rio Santa Marta visto da ponte do Bairro Alto S. Sebastião

Rio Santa Marta visto da ponte do Bairro Alto S. Sebastião

Situação do Rio Muqui do Sul logo abaixo da popular Ponte do Camelo (Sede)

Situação do Rio Muqui do Sul logo abaixo da popular Ponte do Camelo (Sede)

Trajeto do Rio Muqui do Sul passando pela antiga Usina e mata da Pratinha

Trajeto do Rio Muqui do Sul passando pela antiga Usina e mata da Pratinha

União dos Rios Belmonte e Santa Marta

União dos Rios Belmonte e Santa Marta

Busca

Mimoso in foco 2013 - Todos os direitos reservados
renatoalcantara.com