História de Mimoso

FINADOS: E o sino parou de badalar com a “Tomada de São Pedro”

Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020 às 03:20

Por Redação in Foco
Quarta-feira, 02 de novembro de 2016, às 13h00
Tropa Mineiras - 1930

Tropa Mineiras – 1930

Por Renato Pires Mofati

Informações estatísticas do Livro:

“Páginas De Nossa Vida”

Autoria do jornalista Grinalson Francisco Medina.

Naquele dia e assim como em muitos outros municípios brasileiros, o mesmo fato ocorreu em nossas terras e talvez tenha sido um dos mais marcantes da história de Mimoso…

Nuvens escuras no firmamento com densa serração contornavam montanhas escondendo seus cumes. Estranhamente fazia frio na primavera.

Domingo, 02 de novembro de 1930, o século XX seguia seu destino. O setuagenário sino naquela manhã não badalou, pois o dia era de consagração universal aos mortos… Era Finados! O Povo de São Pedro do Itabapoana silenciosamente levava consigo ramalhetes de flores e seguia pela mesma passarela de pedras de tantas idas e vindas. O objetivo era estar presente no Campo Santo e acender uma vela. Na igreja, fieis respeitosamente faziam suas orações. A cidade era silenciosa e respeitosa.

Por volta das 08h00 foi percebido um barulho diferente, ritmado, contínuo… E com o passar de cada segundo ia aumentando gradativamente… Parecia um zumbido que ecoava por todos os lados ricocheteando entre os blocos de granito, serras e encostas. As pessoas perceberam algo estranho, momentaneamente pararam as preces e foram observar o que acontecia. De qualquer ponto se tinha uma visão da estrada que tem o destino da localidade, não a estrada principal e tradicional que passa por localidades conhecidas como Fazenda Independência, União, Lajeado, Recreio, Harmonia, mas por outro acesso via Palestina, Barra, Catuné e Maravilha. E era de lá que partia aquele estranho som que veio acompanhado de uma caravana entre automóveis menores e caminhões. Treze eram o total do comboio que desciam à estrada em fila e seguiam na direção à cidade. Maior que o som que se propagava, era o espanto das pessoas que olhavam aquilo sem nada entender.

Dia de Finados, cidade quieta, população cultuando os mortos e uma caravana chegando. Rapidamente o comboio tomou a direção pela Rua das Tábuas, onde dois caminhões pararam deixando homens armados. E em cada rua, esquina, entrada e saída um carro e homens eram fixados. A movimentação fez com que crianças, idosos, homens e mulheres se recolhessem em suas casas, porque nem imaginavam o que aconteceria.

O comboio continuou seu destino ao centro de São Pedro do Itabapoana e postando cada veículo e homens com fuzis nas principais repartições: Telégrafo, Correio, Cartório, Fórum, Cadeia Pública, Prefeitura e Câmara Municipal.

O telégrafo, sob responsabilidade do Senhor Setenta, que recebia e enviava rápidas notícias, imediatamente foi o primeiro a ser interceptado. A população não reagiu mediante a força da caravana armada. A única pessoa que teve a coragem de perguntar o que estava acontecendo foi a professora Rosinha Caroli, que foi educadamente respondida por um homem alto e magro, por nome Waldemar Garcia de Freitas, que dizia ser emissário de força superior e tinha o imediato dever de retirar das repartições todos os arquivos, documentos, certidões, plantas, escrituras, livros e outros, para que tudo fosse levado ao núcleo dos revolucionados localizado na Estação de Mimoso.

Com a notícia dada pela mesma professora à polícia local de que a cidade de São Pedro era invadida e roubada, a guarnição não teve nenhum tipo de reação e parecia conivente com os acontecimentos. O jornalista Grinalson Francisco Medida se alia a brava professora, juntamente com outros dois são pedrenses, mas foram repelidos imediatamente diante da força dos caravaneiros armados. O sino da igreja então se propôs a badalar incessantemente, quebrando o tradicional silêncio daquele dia… O intuito era chamar a população para o enfrentamento em praça pública na defesa e honra de sua terra querida. Mas nada parecia dar certo naquele dia, pois até o sino da igreja que talvez devido as incessantes e contínuas badaladas provocou seu fim, emudeceu, estava rachado e sem voz.

E o povo de São Pedro sem poder tomar atitude alguma viu o plano em apreço ter o êxito completo e esperado pelos timoneiros. Apenas olhares atônicos observavam aquele momento dramático! A cidade que antes respirava literatura, poesia, graciosidade e respeito perdia sua autonomia,

Após alguns dias, os bravos cidadãos Jamil Mileipe e Mário Caroli foram a capital Vitória para tentar reaver com o Interventor do Estado, Sr. Cap. Punaro Blay, a comarca a seu devido lugar. Também enviaram um mensageiro de carro (Sr. José Setenta), um ofício ao Palácio do Catete no Rio de Janeiro destinado a entregar em mãos ao Exmo Senhor Presidente Vargas fazendo o mesmo pedido. Tudo em vão! E assim ficou instalada a nova sede do novo município na praça que antes era chamado Distrito de Mimoso e agora cidade de João Pessoa. Seu primeiro prefeito indicado após a junta governativa foi Sr. Pedro José Vieira.

Na antiga Praça Nestor Gomes (atual Praça Cel Joaquim Paiva Gonçalves) existia um belo prédio que funcionava o Hotel Amorim, o mesmo foi adquirido ou desapropriado para se transformar na nova representação do município no que se refere ao Executivo Municipal, além do Fórum e Câmara Municipal em sua parte superior.

DADOS ESTATÍSTICOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO DO ITABAPOANA

Posteriormente ao ano de 1865 verificou-se o recenseamento da freguesia de São Pedro do Itabapoana conhecendo-se o seguinte resultado: brasileiros: 3.113 estrangeiros: 114 – escravos brasileiros: 2.225 – escravos estrangeiros: 239 – Total: 5.691. Em sua maioria adotava a religião católica e ficou espalhada pelos povoados de S.Pedro de Alcântara do Itabapoana – Limeira do Itabapoana – e N. S. de Conceição de Muqui.

No ano de 1916, os quais vieram ressaltar à grandeza de seu solo, a pujança da sua natureza, a probidade de seus dirigentes, o trabalho inteligente, profícuo e honesto do seu povo, fica assim estabelecida: SITUAÇÃO GEOGRÁFICA: Ao Sul – Com os municípios de Ponte do Itabapoana e Itaperuna, e outrora com o município de Campos, estes últimos no estado do Rio de Janeiro e pelo Rio Itabapoana – A Oeste - Com o município de São José do Calçado – Ao Norte – Com os municípios de Alegre e S. João do Muqui – E a Leste - Com o Município de Vila de Itapemirim.

DADOS POPULACIONAIS DO MUNICÍPIO: 26.000 habitantes assim descriminados:

Sede de São Pedro do Itabapoana: 8.500 habitantes

Distrito de Barra Alegre: 2.500 habitantes (Atual Bom Jesus do Norte)

Distrito de Boa Vista: 1.000 habitantes (Atual Apiacá)

Distrito de Conceição de Muqui: 8.000 habitantes

Distrito de Mimoso: 3.000 habitantes

Distrito de São José das Torres: 3.000 habitantes

  • Casas comerciais: 75 – Padarias: 6 – Farmácias: 5 – Fazendas de Café: 76 – Sítios: 320 – máquinas de beneficiar café: 30 – Engenhos de cana e alambique: 9 – Escolas estaduais: 03 na sede e uma em cada um dos distritos além de 1 nas fazendas: Barra-Mansa, Santa Cruz e Três Barras
  • Renda da Coletoria Estadual no Exercício de 1915: 18.900$000
  • Renda da Coletoria Federal no exercício de 1915: 15.600$000
  • Renda do Município exercício de 1915: 22.500$000

PROPRIEDADES DO MUNICÍPIO

Um confortável prédio onde funciona o Governo Municipal. Uma rede de Iluminação a gás acetileno com 27 postes e um sólido prédio. Uma rede de água virgem captada na nascente, numa altitude de 600 metros, com distribuição em três caixas sólidas, ao preço de 2$000 mensais para o consumo e um chafariz público. Um Matadouro – Um açougue – Uma oficina tipográfica onde funciona o jornal oficial “A Semana”

Produção do Município: Café, Cana, todos os cereais, cacau, farinha de mandioca, Fumo, Batatas doce e inglesa.

Minérios: Encontra-se: Bauxita, estanho, cristais, malacacheta, além de turfa já caracterizada por engenheiros dinamarqueses, explorando-as.

RECENSEAMENTO DE 1920

Resultado do recenseamento no município, que atingiu o número de trinta e um mil e cinquenta e quatro habitantes, assim discriminado pelos seus respectivos distritos, componentes do Município e Comarca de São Pedro do Itabapoana, iniciado em 20 de Julho de 1920.

S. Pedro: 7.692 – Mimoso:  8.778 – Conceição de Muqui: 6.121 – Barra Alegre: 3.541 – Boa Vista: 2.623 – Torres: 2.299 – População total: 31.054 habitantes

DADOS ESTATISTICOS DA POPULAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO E PRINCIPALMENTE DE SEUS MUNICÍPIOS:

A repartição de estatística do Departamento de Saúde Pública do Estado calculou a sua população, em julho de 1929 em 654.973 habitantes, assim distribuídos pelos respectivos municípios:

Município de Alegre: 45.209 Habitantes – São Pedro do Itabapoana: 44.054 – Cachoeiro do Itapemirim: 36.054 – Colatina: 31.704 – Vitória: 28.828 – Castelo: 28.815 – Afonso Cláudio: 26.673 – Santa Teresa: 25.940 – Santa Leopoldina: 25.710 – Vila do Itapemirim: 23.045 Veado (Guaçui): 21.679 – São José do Calçado: 21.573 – Domingos Martins: 20.833 – S. Mateus: 20.552 – Muniz Freire: 19.372 – Cariacica: 17.063 – São João de Muqui: 17.044 – Itaguaçú: 16.440 – Pau Gigante: 15.905 – Guarapari:15.458 – Alfredo Chaves:15.303 – Rio Pardo: 14.976 – Iconha: 14.870 – Anchieta:13.407 – Viana: 12.558 – Fundão: 11.649 – Rio Novo: 10.584 – Santa Cruz: 10.541 – Serra: 9.607 – Vila Velha: 8.645 –  Barra de São – Mateus: 7.817 – Ponte do Itabapoana: 4.439

Muitas pessoas ainda perguntam: Por que São Pedro do Itabapoana perdeu a autonomia de cidade para o Município para Mimoso do Sul?

Em finais dos anos 30, a República Velha se arrastava e tinha os dias contados! Do Rio Grande do Sul surgia o nome de Getúlio Dorneles Vargas que pregava em seus discursos um novo tempo para o Brasil. Desgastado o atual Presidente do País Washington Luiz, parecia não se importar-se com qualquer crítica, estados como Minas Gerais, Paraíba e principalmente o povo Gaúcho, iniciaram um movimento lançando então Vargas para presidente Junto do Vice João Pessoa. Mas tinha pela frente a força Paulista do Governador Júlio Prestes, que se lança também ao cargo. Em 26/07/30, João Pessoa que era o Governador da Paraíba na época chamado de Presidente, é assassinado com dois tiros no peito pelo advogado João Duarte Dantas em Recife, por questões de ordem pessoal. Estes inimigos na política e de rixa familiar, pois teve seu escritório saqueado e o cofre roubado onde se encontravam cartas, poemas de amor da escritora Anayde Beiriz que foram divulgados a população e considerados escabrosos. Uma reação em cadeia tomou conta do Brasil, e parece ter sido o estopim para a revolta, e numa eleição de muitas desavenças acaba vencendo o candidato Prestes, mas as forças revolucionarias aplicam o golpe de estado impedindo a posse do novo Presidente eleito.  Getúlio Vargas com respaldo das forças armadas toma posse com novo Presidente do Brasil.

Este episódio marca o fim da República Velha e início da era Vargas. Getúlio implantou várias reformas trabalhistas, ampliou o nacionalismo, a intervenção do estado na economia, com apoio do exército e da elite, Vargas deu um golpe de estado e implantou a ditadura do estado novo. Conforme a nova ordem vigente, os estados e municípios foram perdendo autonomia. Logo no início da era Vargas, um decreto de novembro de 1930, estabeleceu que os estados fossem administrados por interventores (que seriam nomeados por Getúlio) cabendo a estes indicarem o Prefeito (Antigo intendente) do município. Foi deposto o Governador capixaba Aristeu Borges de Aguiar que ficou no governo de 30/06/28 a 16/10/30, este fugiu para Portugal no cargueiro Atlanta. O primeiro interventor Capixaba foi: José Armando Ribeiro de Paiva que ficou no poder de 16/10/30 a 19/11/30. Depois o Estado do Espírito Santo ficou sob responsabilidade  da Junta Governativa Capixaba de 19/11/30 a 22/11/30. E de 22/11/30 a 21/01/43 fica no poder o interventor Federal Cap. João Punaro Blay… Depois, Jones dos Santos Neves: 27/01/45 – José Rodrigues Sette 27/10/45 a 06/11/45.

Momentos históricos em São Pedro:

*O primeiro posseiro abrindo as matas – 1837

*Os primeiros desbravadores das matas – 1850

*Criação da Capela de São Pedro de Alcântara do Itabapoana – 1855

*Criação da Igreja de S. Pedro do Itabapoana – 1860

*Criação da freguesia de S. Pedro do Itabapoana – 1863

* Navegação fluvial do Porto da Limeira – 1865

*O primeiro Deputado provincial eleito para 1867 e 1869

*Os primeiros eleitores e Juízes distritais – 1872

*Construção da Igreja Matriz de São Pedro de Alcântara – 1879

*Origem do nome de São Pedro do Itabapoana – 1880

*Clubes: Republicano e Saldanha Marinho e S. Pedro do Itabapoana – 1888

*Proclamação da República – 1889

*Instalação do Município e Comarca de São Pedro do Itabapoana – 1890

*Elevação da Vila de São Pedro do Itabapoana em cidade – 1891

*Chegada do 2º governador Barão de Monjardim – 1892

*Inauguração do telégrafo Nacional – 1902

*Doação do terreno para criação de Sto Antonio – 1912

*Inauguração da Estação José Carlos (Iuru) – 1912

Recenseamento do Município de S. Pedro do Itabapoana em 1916

Inauguração da Linha Telefônica entre São Pedro e D. América 1919

Recenseamento do Município em 1920

Inauguração do coreto Municipal 1921

Inauguração da Luz Elétrica em São Pedro do Itabapoana 1922

Instalação da Luz elétrica em Antonio Caetano 1924

Inauguração da estrada de automóveis em São Pedro do Itabapoana 1924

Inauguração de água Potável em Mimoso 1926

Raid (Rally) de Automóveis entre Bom Jesus e São Pedro 1926

Inauguração Luz Elétrica em Itabapoana 1927

Inauguração Telegrafo Nacional em Dona América 1927

Inauguração do Grupo Escolar em Mimoso 1928

Recenseamento dos Municípios do Espírito Santo 1929

Perda da Autonomia do Município 1930

O Interventor Punaro Blay em São Pedro do Itabapoana 1931

Recurso ao Presidente da Republica Getúlio Dorneles Vargas 1931.

São Pedro do Itabapoana: 02 de novembro de 1930

Mimoso do Sul: 02 de Novembro de 2016

Duas datas que marcam o tempo em 86 anos! Uma fatídica para o povo são pedrense que perde sua autonomia como município. Outra alegre e festiva para a nova cidade criada! Com o passar dos anos, parece ter existido uma diferença entre estes dois lugares, uma sempre desconfiança por parte do povo de São Pedro do Itabapoana com relação ao mimosense porque o fato ocorrido há 86 anos foi simplesmente um golpe… Pode ser! Havia na sede de Mimoso simpatizantes pró Getúlio, e alguns desses clamavam por uma emancipação. Outro fato foi estação ferroviária tão importante no que se diz respeito à escoação do café, fluxo de passageiros, e a topografia da cidade. Nota-se o surpreendente crescimento populacional da sede de Mimoso comparado principalmente com São Pedro e demais distritos nos últimos recenseamentos antes de 1930. O crescente comércio estabelecido por imigrantes principalmente os Sírios Libaneses, além de muitos outros fatores. Hoje as relações entre estes dois povos é de muita fraternidade… São Pedro do Itabapoana necessita de Mimoso, assim como Mimoso necessita de São Pedro. Afinal somos um mesmo povo e irmãos por natureza! Obrigado Mimoso do Sul… Obrigado São Pedro do Itabapoana, que com muito orgulho pude escrever este texto comemorativo nesta semana.

Tropas Mineiras com destino aos estados brasileiros em 1930

 

Um dos motivos da Revolução de 1930

Sr. Amorim e família - Dono do Hotel Amorim atual prédio da Prefeitura que virou sede do novo município João Pessoa (Mimoso do Sul) em 1930

Sr. Amorim e família – Dono do Hotel Amorim atual prédio da Prefeitura que virou sede do novo município João Pessoa (Mimoso do Sul) em 1930

Maria Antonieta Tatagiba - Escritora e Poetisa de São pedro do Itabapoana

Maria Antonieta Tatagiba – Escritora e Poetisa de São pedro do Itabapoana

Júlio Prestes

Júlio Prestes

Interventor Federal do ES Cap. João Punaro Blay

Interventor Federal do ES Cap. João Punaro Blay

Intendente (Prefeito) - Vereador - Deputado - Médico Dr. José Coelho dos Santos empossado em 1890

ntendente (Prefeito) – Vereador – Deputado – Médico Dr. José Coelho dos Santos empossado em 1890

Jamil Mileipe bravo São pedrense que lutou ao lado de Mario Caroli Junto ao Interventor Punaro Blay para reaver a comarca de São Pedro de volta.

Jamil Mileipe bravo São pedrense que lutou ao lado de Mario Caroli Junto ao Interventor Punaro Blay para reaver a comarca de São Pedro de volta.

A maior reunião política já ocorrida em Mimoso do Sul - foto de 1932

A maior reunião política já ocorrida em Mimoso do Sul – foto de 1932

Foto da Família Caroli. Em destaque a professora Rosinha Caroli

Foto da Família Caroli. Em destaque a professora Rosinha Caroli

Foto de João Pessoa, Anaíde Beiriz e João Dantas

Foto de João Pessoa, Anaíde Beiriz e João Dantas

Getúlio Vargas - 1930

Getúlio Vargas – 1930

Instalação do novo município de João Pessoa (Mimoso do Sul) com a posse do novo Prefeito Pedro José Vieira (Terno preto ao lado do Promotor Dr. Jasson Martins (terno branco)

Instalação do novo município de João Pessoa (Mimoso do Sul) com a posse do novo Prefeito Pedro José Vieira (Terno preto ao lado do Promotor Dr. Jasson Martins (terno branco)

S S S S S S S S S S Eleição de 1930 S S Motivos Políticos de 1930 S S

Busca

Mimoso in foco 2013 - Todos os direitos reservados
renatoalcantara.com