História de Mimoso

A Grandeza de um Município e sua Gente: Um Lugar Chamado São Pedro

Sexta-feira, 10 de Julho de 2020 às 00:51

Por Redação in Foco
Quinta-feira, 27 de julho de 2017, às 11h00.
886-F
 

Por Renato Pires Mofati

Que ele surgiu em 1852 por iniciativa de Manoel Joaquim Pereira, que virou distrito através da criação ao Decreto Provincial nº 4, de 26 de novembro de 1863, que foi desmembrado de Cachoeiro de Itapemirim para tornar-se Município através da Lei nº1 de 29 de julho de 1887, que perdeu sua autonomia em 02 de novembro de 1930, que seus imóveis foram tombados pelo Departamento de Cultura e foi criado um Festival de Inverno de Sanfona e Viola… Isso tudo muita gente sabe. Mas como era São Pedro do Itabapoana naquele tempo?

Era uma cidade ilustre, plantada numa colina perdida entre montanhas, com um casario colonial e possuía, já no início do século passado, alguns Doutores e Dirigentes Municipais com consciência política tão desenvolvida, que ficaram memoráveis os públicos pronunciamentos de sua Câmara de Intendentes em várias passagens movimentadas da vida política do Estado e do País.

São Pedro do Itabapoana respirava a intelectualidade, poesia e graça! Os sarais eram requintados e movidos à gente de grande importância com sons de piano vindo de dedos e mãos de verdadeiros artistas. Da algibeira ostentando correntes de ouro e prata que faiscavam ao brilho dos candelabros espalhados ao espaço, à elegância de senhoras e seus vestidos invejáveis… São Pedro tinha requinte e os encontros entre os Coronéis e seus chapéus de pelo de lebre, ou mesmo Panamá, se mesclavam aos escritores, poetisas, redatores de jornais, doutores, políticos dentre os quais podemos citar: Cel Clarindo Lino da Silveira, Dr. José Coelho dos Santos, Major Silvério Francisco Medina, Dr. Olegário Ribeiro da Silva, Dr. Manoel Pedro Vilaboim (1º Juiz da Comarca do Itabapoana), Comendador Leopoldino Gonçalves Castanheira, Cel. Manoel Teixeira de Oliveira, Cel Joaquim Gomes de Paiva, José Cesário Miranda Monteiro de Barros, Cap. Jayme Monteiro e Menezes, Professor e Jornalista Máximo Tebaldi, Poetisa e Jornalista Maria Antonieta Tatagiba e tantos outros se ambientavam ao matiz da fumaça provocada por charutos de homens de grande importância. Era assim São Pedro do Itabapoana: um município em seu apogeu com ruas movimentadas, com frenético movimento, o sobe e desce pela escadaria das Damas, vista observada, secreta para alguns e desejada por outros… Ah! Se aquelas degraus tivessem voz!

Quem visita São Pedro nota nas fachadas dos antigos casarões a arquitetura de plantas retangulares com portas que mantém a nobreza de suas ombreiras em madeira, algumas com soleira de pedra e com enormes telhados. São Pedro de ruas estreitas, cobertas ainda de pedras no melhor estilo pé de moleque, que obedecem servilmente à declividade do terreno.

São Pedro do Itabapoana era citado, noticiado na corte Imperial em Petrópolis em momentos de grandes eventos e chegadas de autoridades. Os informativos, os jornais de circulação no município atingiram o número de 13 jornais. Seus títulos: O Município – A Imprensa – A Evolução – A Pátria – O Progresso – O Rebate – A Reforma – O Binóculo – A Semana – A Luz – O Riso – A Gaita – A Língua – O Sorrisos. Todos eram lidos pelos moradores que se atualizavam dos fatos e acontecimentos não só do lugar, mas do País. Sim! São Pedro era importante, possuía Bandas Musicais, Teatro, Clube Recreativo, Foot-Ball Clube São-Pedrense, local do Fórum, Juiz e Promotor, Tabeliães, Oficiais de Justiça, Contador, Advogados, Escrivães da Polícia e Registro Civil, Coletorias Estadual e Federal, Delegado de Polícia, Avaliador de Fazenda Nacional. Tinha 7 médicos, 14 farmácias, 7 agencias de correio, 5 estações telegráficas , 2 linhas telefônicas, inúmeras eram as máquinas de café (Hidráulica, elétrica, vapor), engenhos de açúcar, de aguardente, de arroz, serrarias, fábrica de tecidos, de goiabada, queijo, ferradura, farinha, 309 fazendas classificadas, 17 templos religiosos. Em 1916, no primeiro censo tinha 26.000 mil habitantes, respectivamente: Sede de São Pedro: 8.500 hbs – Barra Alegre (Atual Bom Jesus do Norte): 2.500 hbs – Boa Vista (Atual Apiacá):1.000 hbs– Conceição de Muqui: 8.000hbs – distrito de Mimoso:3.000 hbs – Torres: 3.000 hbs.  E no recenseamento de 1920, passou a ter: S. Pedro: 7.692 hbs – Mimoso: 8.778 hbs –  C. do Muqui: 6.121 hbs – Barra Alegre: 3.541 hbs– Boa Vista: 2.623 hbs – Torres: 2.229 hbs e assim chegamos ao número de : 31.054 habitantes. E uma população máxima de  50.000 mil habitantes em  janeiro de 1929. Lá existia uma sociedade Bibliotecária, o Clube Republicano.

Em 19 de setembro de 1926 São Pedro assistiu um Raid automobilístico com 18 veículos vindo de Bom Jesus do Itabapoana até aquela cidade. Seus destemidos pilotos e seus calhambeques maravilhosos da marca Ford e a excelente gasolina Atlântica deixaram a cidade polvorosa. As representações das famílias de são Pedro observavam o feito… Nominato Ferreira de Paiva, Rufino Batista de Araujo – Cesar Ribeiro de Paiva – Damaso Ribeiro de Castro – Dr. Arthur Veloso da Silva – Antonio Coelho dos Santos – Ivone Feitosa Aguiar – Dr. Mário Caroli – Breno Silva castanheira – Lauro Nogueira da Gama- Antonio Perciano de Oliveira, entre outros.

Visitas ilustres em São Pedro: Dr. Afonso Cláudio, Barão de Monjardim, Deputado Dr. Azevedo Cruz, Bispo do Estado do Espírito Santo D. João Batista Correia Néri, e do 2º Bispo D. Fernando de Souza Monteiro, Presidente do Estado Dr. Marcondes Alves de Souza, Dr, Bernardino de Souza Monteiro, Doutor, Pinheiro Junior, Bispo Dom Benedito Alves de Souza. “São Pedro era tão importante, que um mensageiro a cavalo partiu da Estação José Carlos (Atual Iurú) com uma correspondência destinada ao Partido Republicano São Pedrense com os seguintes dizeres:” É instaurada a República Federativa no Brasil, por Marechal Deodoro da Fonseca. 15 de novembro de 1889. Com os cumprimentos: Nilo “Pessanha”.

Com a notícia, uma explosão de alegria ocorreu na cidade e um grandioso baile foi realizado em comemoração… Mas, o tempo passou… Passou… E a história mais que conhecida nos conta do fatídico dia do desfecho em que São Pedro do Itabapoana perde sua autonomia de cidade e passa a viver longos dias de completo esquecimento! Mas isso é outra história…

Antigo Sarau

Antigo Sarau

Cel José Carlos Terra Lima

S

S

S

Cel José Carlos Terra Lima

Cel José Carlos Terra Lima

S

S

S

Cel. Joaquim Paiva Gonçalves - Gamboa

Cel. Joaquim Paiva Gonçalves – Gamboa

S

S

S

S

S

Dr. José Coelho dos Santos

Dr. José Coelho dos Santos

S

Escritora e Poetisa Maria Antonieta Tatagiba

Escritora e Poetisa Maria Antonieta Tatagiba

S

S

Sarau

Sarau

S

Busca

Mimoso in foco 2013 - Todos os direitos reservados
renatoalcantara.com