Boca no Trombone

MORTES EM MIMOSO: Saiba o que fazer em casos de envenenamento de cães e gatos

Sábado, 23 de Setembro de 2017 às 15:06

Por Redação in Foco
Terça-feira, 22 de agosto de 2017, às 13h00.
201604191154150000005482

Por Redação In Foco

A grande incidência de mortes ocasionadas por envenenamento de gatos e cachorros tem preocupado muitas pessoas de Mimoso do Sul. Com requintes de crueldade carnes envenenadas com chumbinho são jogadas dentro de residências e no meio da rua com o propósito de vitimar os animais. O fato acontece em diferentes bairros do município e de formas bem semelhantes. A grande incidência das doenças Cinomose e Parvovirose, altamente contagiosas, também é alarmante.

Dicas que podem salvar vidas

Mirinha Mofati, proprietária do Pet Shop Dog Show, diz que há poucos dias um gato morreu em seus braços envenenado e não teve tempo para salvá-lo. Ela deixa para os internautas do Site Mimoso In Foco dicas que podem fazer a diferença e salvar vidas. “Quem deseja um gatinho ou cachorrinho em casa é necessário prevenir. É fundamental ter carvão ativado para dissolver numa seringa e aplicar várias vezes quando perceber sintomas de animais babando, convulsões e com as pupilas dilatadas. Também é essencial ter um vidro de Atropina, injeção responsável por parar as contrações musculares e consegue, conforme a dose e tempo, salvá-los”, explica.

Surto de Cinomose e Parvovirose em Mimoso

Mirinha também informa que o município está com um surto das doenças Cinomose e Parvovirose que são altamente contagiosas e podem levar à morte os animais ou deixar graves sequelas nos que se curam. Geralmente animais não vacinados adquirem essas doenças. Os principais sintomas são apatia, perda de apetite, diarreia, vômito, febre, secreções oculares (remela em grande quantidade), secreções nasais (pus), convulsões, paralisias e tiques nervosos.

Como a cinomose é transmitida?

O cachorro pode pegar cinomose, ou seja, ser contaminado pelo vírus de diversas formas, entre elas, o contato com secreções, urina e fezes infectadas pelos animais doentes. Além disso, casinha, cobertores e alimentos dos animais infectados também são fontes de infecção. Filhotes e idosos são mais susceptíveis a doenças infecto-contagiosas por terem o sistema imunológico um pouco menos ativo.

Qual o tratamento para a cinomose?

Não há medicamentos antivirais eficazes para combater a doença. No entanto, o tratamento consiste em tratar os sintomas causados nos diferentes sistemas acometidos, como antibiótico e anti-pirético para as infecções secundárias no sistema digestório e respiratório, além de aliar expectorantes, bronco dilatadores e antieméticos, soro (fluidoterapia), para corrigir a desidratação causada pela diarreia, anticonvulsivante para as crises convulsivas devido ao acometimento do sistema nervoso, suplementos nutricionais e terapias alternativas, como a acupuntura, para melhorar a resposta imunológica do animal para combater o vírus também são utilizadas.

Como prevenir a cinomose?

Basta a vacinação anual do seu cachorro. A vacina para cinomose está dentro do pacote oferecido pelas vacinas V8 e V10. No caso de filhotes, devem receber três doses da vacina a partir de 45 dias de vida, com intervalo de 30 dias entre as doses. Apenas depois da terceira dose, seu sistema imunológico estará apto a combater o vírus caso haja contato com ele, sendo liberados os passeios na coleira.

Boletim de Ocorrência para investigação

O proprietário do Pet Shop “Anjos de Patas”, Jeovan Castro, afirma que vai confeccionar um Boletim de Ocorrência buscando a investigação dos fatos porque a quantidade de animais envenenados é preocupante e deve ser apurada de forma muito criteriosa.  “Estamos lidando direto com envenenamento de gatos e cães e a morte da maioria desses animais, o que nos causa muita tristeza e revolta”, conta.

Busca

Mimoso in foco 2013 - Todos os direitos reservados
renatoalcantara.com